top of page
Buscar
  • Foto do escritorBruna Brandolini

HAS (Hipertensão Arterial Sistêmica) Gestacional

Atualizado: 11 de abr. de 2021


O que é pressão alta na Gravidez

Aí vai um recado em especial para as mulheres, em especial às hipertensas que querem ser mamães!

Vocês sabiam que existem diferentes tipos de hipertensão que podem acometer a mulher gestante?

Neste artigo, vou explicar um pouco sobre cada um deles e os cuidados que precisamos tomar para passar por essa linda fase com muita saúde!


A hipertensão arterial crônica (prévia a gestação): seu diagnóstico é dado pela manutenção de valores da pressão arterial acima de 140/90 mmhg. Portanto, se você já apresenta esse diagnóstico e está planejando uma gestação, é muito importante avisar seu cardiologista! Ele vai avaliar quais medicações você está usando e se é necessário trocar por outras mais seguras. Alguns anti-hipertensivos podem causar malformação fetal!


Hipertensão gestacional: acontece nas mulheres que se tornaram hipertensas após a 20ª semana de gestação e podem permanecer hipertensas, ou não, após o parto.


Pré-eclâmpsia: é a presença de hipertensão após a 20ª semana de gestação, com a liberação de proteínas pela urina ou o acometimento de outros órgãos. Precisamos ficar em alerta e fazer um acompanhamento mais próximo da gestante para evitar complicações maiores.


Eclâmpsia: é a condição mais grave e temida, considerada uma emergência! Acontece quando a gestante apresenta hipertensão associada à convulsão, podendo, também, ter lesões graves no fígado. Essa complicação coloca em risco a vida dela e a do bebê. Todo o cuidado e o acompanhamento da gestante são justamente para não se deixar chegar a esse estado crítico!

Portanto, é fundamental o diagnóstico precoce e o acompanhamento adequado da gestante que desenvolve hipertensão. Precisamos fazem um controle preciso da pressão arterial e identificar as mulheres com maior risco de desenvolver complicações.


Quem são essas mulheres de risco?

  • Aquela que apresentou pré-eclâmpsia prévia

  • Idade materna >40 anos

  • Gestação multifetal

  • Obesidade

  • HAS crônica

  • Diabetes melito tipos 1 ou 2

  • Doença renal

  • Doença autoimune (lúpus/SAAF)


Ao identificar pacientes de alto risco, além do tratamento com anti-hipertensivos, iniciamos AAS e reposição de cálcio a partir da 12ª semana de gestação.

E se, mesmo assim, a pressão arterial não ficar controlada, o médico assistente pode indicar internação hospitalar e, dependendo da gravidade, até interrupção da gestação


225 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 Comment


Marcelo Souza
Marcelo Souza
Jul 15, 2021

Tenho dores no peito falta de

Like
bottom of page